7 de janeiro de 2009

Maglia Rosa

Procurando no google um programa da RAI para o meu pai (que é o único telespectador de verdade deste canal) acabei encontrando o blog Maglia Rosa. Deixo aqui a dica, é um ótimo lugar para aprender mais e se manter atualizado sobre o mundo do ciclismo. Inclusive sobre sua história.

Como tira gosto, duas curiosidades sobre o Giro d'Italia



Maglia rosa:

“Maglia Rosa” é a identificação do atleta líder da maior (ou uma das) provas de ciclismo de longa distância do calendário mundial: o Giro d’Italia.

Prova tradicional, disputada desde 1909, se não é a mais famosa (o Tour de France é a prova mais conhecida), é considerada mais difícil. A geografia da Itália faz desta prova um prato cheio para os ciclistas escaladores.

No Giro, a cor da camisa do líder é rosa claro. Num primeiro momento, as pessoas que não entendem absolutamente nada do assunto acham estranho e sempre escutamos alguma piadinha infame relacionando o comportamento sexual dos atletas com a cor da roupa que usam. O motivo real da cor rosa é a homenagem a empresa organizadora: o jornal Gazzetta Dello Sport.

Diz a lenda que no tempo dos homens das cavernas (nem tanto!) não havia papel de qualidade para a impressão do jornal. A solução foi a utilização de um papel de qualidade inferior, na cor rosa. Até hoje esse periódico tem as páginas dessa cor.

Maglia nera:

Maglia nera, maillot negro, black jersey, camisa preta.

É o equivalente italiano da lanterne rouge. Como os italianos são sempre do contra, não poderiam fazer uma coisa que já existia em outra prova.

Não se sabe exatamente qual o significado da cor preta e por qual motivo ela foi escolhida. Especula-se que tenha a ver com o luto, tristeza, coisas do gênero.

Porém, da mesma forma que a correspondente francesa, vestir a maglia nera não é motivo de vergonha. Se sabemos quem foi o último em todas as edições do Giro, o mesmo não podemos dizer do penúltimo, do ante-penúltimo e assim por diante. Houveram edições nos anos 40, em que alguns corredores tentavam perder o maior tempo possível (mas cuidando para não serem desclassificados por estouro do limite de tempo), sentados em bares na beira das estradas.

Um comentário:

Igor Abreu disse...

Engraçado, outro dia eu estava justamente olhando um site de camisas antigas de ciclismo, e após ler este post resolvi voltar lá pra conferir e olha o que encontrei!

Abração!