10 de novembro de 2008

Viva a veemência

Faz mais de ano que tento, sem sucesso, manter um blog que trate principalmente de matemática e de questões relacionadas à ciência e ao ensino. Só que essa porra só foi engrenar agora, quando resolvi dar liberdade a minha outra paixão: bicicletas!

(Engraçado constatar que nesta forma de contato com o mundo o corpo fluiu melhor que a mente)

Tudo bem, vá lá.

Eis que neste final de semana meus dois mentores bloguísticos publicaram coisas que me chamaram de volta às origens. Primeiro o Marcelo Leite escreveu sobre George Monbiot na coluna dele na folha (ainda não tá no blog porque o cara tá viajando). Hoje o Idéias Antigas fez o precioso serviço de me apresentar o Idéias Cretinas.

É o blog que eu queria escrever. Sem mais rasgação para o momento, me permito apenas copiar e colar alguns trechos onde se defende a postura do Richard Dawkins, que está se aposentando.

"Digamos que você discorde de um muçulmano fundamentalista. Ele vai se achar no direito de matar você, perseguir sua família, depredar sua propriedade.

Digamos que você discorde de um cristão fundamentalista. Ele também vai se achar no direito de matar você, perseguir sua família, etc, ou, se vocês viverem numa democracia ocidental com polícia por perto (como os EUA, digamos) talvez se limite a sentir uma profunda satisfação por saber que você vai arder no inferno e seus filhos e netos serão amaldiçoados.

Digamos que você discorde de Richard Dawkins. Ele vai se achar no direito de escrever um artigo (ou livro) tirando sarro da sua cara.

Sou só eu que noto a diferença?"


E quando alguém falar que sou radical ou arrogante vou responder com todo o orgulho: nada disso, sou apenas veemente.


"Finalizando, veemência não é dogmatismo (ou fundamentalismo). Um homem veemente pode estar convicto de que tem os melhores argumentos sobre uma questão e apresentá-los de modo contundente, e ainda assim ter a honestidade intelectual de mudar de idéia, quando a evidência tornar isso necessário.

Já um homem dogmático (ou fundamentalista) simplesmente ignora a evidência em contrário, transforma-a em “heresia” ou, se tiver uma veia poética, disfarça-a como “mistério”.

De novo: sou só eu que noto a diferença?"



3 comentários:

tessie27 disse...

Adorei

ana disse...

É uma delícia mesmo de ler o blog Idéias Cretinas. Na verdade me lembra muito a tua maneira de explicar as coisas.
beijo

Generoso Amigo Sueto disse...

Espero que não transforme sua idéia veemente num dogma.
Isso não é do seu feitio, mas vai saber...
ahahahahahahahahaha

Bom te ver hoje, senhor "não trabalho, sou professor"
hahahahahahahah

Abraços