13 de fevereiro de 2009

Ladrão de bicicleta

Meu amigo ex-advogado, triatleta, especialista em freedancing e florais, como todos nós, também já passou por maus bocados em cima da magrela. Neste caso ele não conseguiu permanecer exatamente em cima dela e o resultado disso está bem relatado nas palavras dele abaixo:


Mas teve um episódio engraçado para não dizer trágico. Eu morava num cubículo no centro na época, e descia a Rua Augusta todo dia para voltar do trabalho, lá pelas dez da noite. Como pedalo em ritmo de mulher fiel (num pau só) e sempre sincronizado com as mudanças dos semáforos, percebendo que um deles ia abrir e se eu pedalasse mais forte conseguiria ultrapassar todos os carros que aguardavam parados, acelerei. Só que uma pedestre também achou que conseguiria atravessar a rua enquanto o semáforo estava amarelo. Não deu outra. Com as pastilhas do freio gastas tive que desviar da moça e me jogar no chão para não atropelá-la. Só que meu bar-end enroscou na alça da bolsa da moça, ela achou que eu estava roubando-a. No final das contas estava eu deitado no chão, na porta de uma daquelas saunas bem frequentadas, com o segurança me olhando e não sabendo o que fazer, minha bike a uns cinco metros para frente e com a bolsa da moça pendurada no guidão e ela vindo gritando desesperada atrás da bolsa. Foi vídeo cassetada total. Conversei com ela, pedi desculpas pelo ocorrido, ela entendeu e também se desculpou por não ter me visto. Essas coisas acontecem!

2 comentários:

tessie27 disse...

Pois é... mas fiquei sabendo, não sei se foi dessa ou de outra vez, que o ciclista em questão acabou dando prejuízo a um comerciante por derrubar a barraca de frutas do cara. Sinceramente, esses ciclistas são todos uns maconheiros, nascidos de chocadeira...

Deviam dominar o mundo!!!

d2e2ns disse...

Essa de pedalar em ritmo de mulher fiel eu não conhecia.

Boa, boa!