2 de abril de 2009

A burrice é a maior das misérias

"Professor, pra que eu tenho que aprender matemática se eu vou ser cozinheiro?"

Com certeza esse aluno não vai ter que calcular log de nada para ser um bom cozinheiro. Jamais usará a trigonometria em nenhuma receita - se o fizer, nunca comerei da sua comida. Talvez nos seus papéis só apareçam alguma regra de três e umas porcentagens.

É mitológica esta indagação. Não há um professor que nunca passou por ela. Mas alguns ainda ficam sem jeito. Bravamente tentam justificar que a matemática está em tudo, quase sempre usando argumentos que chegam mais perto de provar que ela não serve pra nada.

"Professor, pra que eu tenho que saber com dois pontos encontrar uma reta?" "Ora, para o caso de você ter dois pontos e querer encontrar uma reta"

Jénio!

Há alguns anos, em plena reunião de pais e mestres, depois que um pai implorou para que ensinássemos matemática de forma mais aplicada a seu filho, ouvi a seguinte pérola de um colega: "a matemática está em tudo. Por exemplo, se a pessoa quiser saber quantos passos ela tem que dar para ir embora desta sala, ela terá que usar a matemática. Se ela quiser saber quantas cadeiras tem aqui, vai ter que usar a matemática. Então, como você vê, a matemática está em tudo".

Enquanto enfiava a cara dentro da camisa e torcia para o mundo acabar logo, duas coisas me vieram à cabeça. Primeiro, a pessoa que sentir esta vontade precisará mais de um psicólogo do que da matemática. Segundo, a matemática que as pessoas costumam conseguir enxergar no mundo quase sempre se restringe a contagem ou a simples comparações de grandezas.

E por que isso?

Se você olhar em TODOS os livros didáticos, notará que NENHUM deles tem como foco a argumentação dedutiva. Alguns trazem exercícios do tipo "prove", mas jogados no meio dos outros, sem as devidas explicação e exemplificação no corpo do texto. Nunca vi um aluno que saiu do ensino médio sabendo provar alguma coisa por indução. Nunca vi um aluno que saiu do ensino médio tendo pelo menos ouvido falar nisso.

Todos ensinam ferramentas e mostram sua aplicação. Alguma história da matemática aparece. Quase sempre sem contexto, só enchendo linguiça. As coisas aparecem como se surgissem do nada e para o nada caminhassem.

Como esperar que alguém se interesse e se dedique a isso?

Noventa e nove vírgula nove porcento das pessoas (99,9%) realmente nunca vai usar um logarítmo. Então porque eu tenho que ensinar essa merda?

Esse assunto ainda vai gerar muitos posts. (Afinal, esse blog era pra ser principalmente sobre matemática, minha paixão geratriz). Por enquanto lhes deixo com meu blog amigo Idéias Cretinas, que explicou muito bem o coração da questão:


Dei esta volta toda [veja aqui a volta toda] para chegar à recente onda de escândalos no Senado, que degenerou rapidamente em uma série de tu quoque - a falácia de tentar se defender de uma acusação não produzindo argumentos relevantes ou evidências idem, mas dizendo que o acusador também tem culpa no cartório. Como se um assassino, digamos, não pudesse ser testemunha ocular de um assalto, ou vice-versa.

O que me pôs a pensar: se as pessoas em geral estivessem mais familiarizadas com as regras do discurso lógico e da prática científica, elas provavelmente não engoliriam esse tipo de jogo de cena. Se os jornalistas que cobrem política também tivessem esse tipo de familiaridade, talvez conseguissem ser mais incisivos. Darwinianamente, isso poderia vir a gerar políticos melhores.

4 comentários:

igor abreu disse...

Caramba, Silvão, esse post foi NOTA log 10000000000!

Concordo plenamente com tudo, o pensamento lógico exigido no estudo da Matemática muda toda uma forma de pensar, portanto não é simplesmente "aprender a calcular uma integral definida" ou "arctg 1". A menção à falta de exercícios de indução foi excelente.

goitaca disse...

Genial! Exceto a ultima frase. Afinal, eu tenho que puxar a brasa para a minha sardinha. Ou para o meu tentilhão...

meandros disse...

Exato! Muito bom.

Foi uma resposta similar a esta que ouvi de um professor a um colega na 7ª série:

- Porque matemática ensina a pensar. E pensar vai ser útil para qualquer coisa que você faça.

A resposta me satisfez na época. E continua a me satisfazer.

Izabella disse...

Já estou até sonhando com isso haha :]